Follow by Email

quinta-feira, 26 de março de 2015

Bento e o terror noturno


Terror Noturno



   

Meninas, estava querendo fazer esse post pra vocês há uns dias já, mas queria ter tempo para escrever com calma, e com a correria acabava adiando. Vamos la!

Algumas crianças, á partir dos 09 meses de idade, apresentam um distúrbio de sono conhecido como "terror noturno". Já havia falado sobre isso por alto no Instagram, mas foi só agora que estou passando por isso com o Bento que entendi o quanto pode nos enlouquecer.

Durante uma crise de terror noturno, a criança pode chorar, gritar, gemer, sentar na cama e se debater. Mesmo que ela esteja de olhos abertos, não sabe que você está ali e não se acalma. A crise pode durar alguns minutos, ou ate mais de meia hora, e depois que passa, a criança volta a dormir. No dia seguinte, não irá se lembrar de nada. O terror noturno é diferente de um pesadelo, pois no caso dos sonhos, a criança se lembra o motivo de estar assustada, já no terror noturno ela volta a dormir e não se lembrará de nada ao acordar.

Nos momentos em que o episódio ocorre, nosso primeiro instinto é abraçar, conversar, tentar acorda - los e faze - los entender que estamos ali e que está tudo bem, porem esse comportamento pode prolongar o ocorrido. O melhor a fazer é ficar por perto para garantir que não se machuquem, e esperar que passe.

Com o tempo, os bebês vão aprendendo a "ligar" as fases do sono, e com isso chega ao fim essas noites de tormenta na vida de qualquer mãe. Por hora estamos assim por aqui... aguardando. Há uns 15 dias que o Bento acorda em pânico por volta da 00:00 e depois por volta de 3h da manhã, senta na cama e chora sem motivo aparente por uns 10 minutos. Até começar a pesquisar sobre o terror noturno eu tentava acalma - lo de todos os modos possíveis, mas nada adiantava. Essa semana surtei de madrugada e comecei a chorar junto com ele, e foi então que resolvi que leria mais sobre o assunto e entenderia de vez sobre o que se tratava. Confesso que estou mais tranquila e preparada depois que me informei... é complicado lidar com isso no meio da madrugada, onde 10 minutos parecem 10 horas, mas não tem o que ser feito, é mais ou menos como as cólicas dos recém nascidos, quando o único remédio é aguardar que o intestino deles amadureça.

Vamos seguindo nesse ritmo de madrugadas agitadas por aqui... e vamos dando notícias.


Informações retiradas do site BabyCenter.










quarta-feira, 11 de março de 2015

Sai berço, entra caminha.

Quando chegamos da maternidade, logo na primeira noite, coloquei o Bento na cama junto comigo. Ele mamava de hora em hora, e nós dois sentíamos necessidade de ficar junto, sentindo ainda o calor da nossa união, mesmo que fosse em corpos diferentes agora. Seguimos assim até 1 ano, com algumas poucas tentativas frustradas de coloca-lo no berço, mas confesso que foram frustradas por culpa minha. Sempre voltava atrás por carência, saudade de nossas noites, praticidade, etc. Foi com 1 ano e 2 meses, com o desmame dele, que finalmente a independência noturna chegou por aqui. Bento sempre foi um bebê independente em todos as outras áreas, mas para dormir ainda ficava grudado no peito (farei outro post sobre o desmame). Com os novos hábitos, o berço finalmente começou a ser usado... mas com 1 ano e 2 meses de atraso. Não me arrependo da cama compartilhada, meu unico arrependimento foi ter comprado um berço, e não uma cama king size, rs. Tudo ia muito bem na nova rotina do sono, mas comecei a perceber que ele não estava curtindo ir para o berço e não ter autonomia para subir e descer, acordava estressado, ia dormir triste... então aos 16 meses de idade do Bento decidi que estava na hora de desmontar o bendito e dar lugar a caminha. Foi a melhor decisão que tomamos! Desde a primeira noite ele dormiu bem, e sempre pede pra ir deitar (nem sempre pra ir dormir, rs). Comprei essa mantinha do mickey toda em microfibra porque ele ama esse material, fica se esfregando no cobertor igual a um filhote e depois dorme, é muito fofo! E isso só ajudou mais a transformar a hora de dormir em um momento prazeroso pra ele. Ja estamos assim há 1 semana, e parece que sim, aposentamos de vez o berço e não tem mais nenem nessa casa, rs. Nas primeiras noites juntei a caminha à nossa cama, para que ele se acostumasse com ela, e agora ja dorme separado numa boa. À noite coloco proteção para que ele não caia, e forro o chão também, mas ainda não tivemos acidentes. Acho que o mais importante na hora de fazer essa mudança em casa é observar a própria criança e suas necessidades. Tem os que se sentem habituados e seguros com o berço, e tem os que anseiam por liberdade e independencia, e então acabam se adaptando super rápido à caminha. Boa sorte pra vocês 😘